Buscar
  • Rede RM

Casa Vogue discute o papel da arquitetura e a coletividade nas grandes cidades

A Revista propõe um debate sobre pertencimento, a função social da arquitetura e iniciativas comunitárias que ressignificam os espaços urbanos


A edição de outubro da Casa Vogue tem como norte o tema Fazer parte: construções de coletividade nas grandes cidades, e investiga as iniciativas comunitárias nos espaços urbanos. A revista chega às bancas em 2 de outubro e tem como destaques um ensaio no apartamento da Curadora independente Carollina Lauriano, uma reportagem especial sobre envelhecer juntos que trata de iniciativas de pessoas que se uniram em condomínios e vilas para viver de forma colaborativa, e no quadro Persona, figuras que ganharam ainda mais destaque nas redes sociais com iniciativas de bem-estar e entretenimento em meio à pandemia.


Três reportagens especiais tratam da temática da coletividade nos grandes centros urbanos. A primeira lança luzes sobre coletivos de arquitetos, profissionais de diversas regiões do Brasil que visam retomar a função social da arquitetura e pensar iniciativas que gerem melhorias coletivas nas cidades. A segunda trata de iniciativas de idosos que se uniram a seus amigos em condomínios e vilas ao redor do mundo para formar pequenas comunidades e envelhecer em boa companhia. A última reportagem desbrava as peculiaridades de uma comunidade alternativa, a Inkiri Piracanga, ecovila localizada na Península de Maraú (BA) reconhecida por muitos de seus projetos, de educação infantil a preservação ambiental.


Na seção Persona a revista elenca artistas e influenciadores que ganharam ainda mais visibilidade durante a pandemia ao divulgarem, por meio da internet, conteúdos relacionados a bem-estar, entretenimento e autocuidado em meio ao isolamento social. A apresentadora e chef Bela Gil, a professora de Yoga Priscilla Leite, a educadora financeira Nath Finanças, a ciberativista Triscila Oliveira e o roteirista e cartunista Leandro Assis abordam temas essenciais e diversos como culinária, atividade física, crítica social, finanças e humor. Os personagens foram fotografados pelo fotógrafo Jorge Bispo, que criou um aplicativo de celular para fazer ensaios remotos durante o isolamento social.


A Curadora independente Carollina Lauriano abre as portas de seu refúgio na seção Em Casa Com. Lauriano dedica sua pesquisa curatorial aos desafios enfrentados pelas mulheres no competitivo mercado de arte e divide seu apartamento em São Paulo com sua gata Eva e um simbólico acervo de obras assinadas por jovens artistas.


Em matéria especial, a revista traz uma seleção dos móveis e objetos que se destacaram na primeira edição online da SP-Arte, que ocorreu em agosto. O evento é uma das feiras mais importantes de arte e design e apresenta os lançamentos de marcas e estúdios independentes.


A seção Decor Stories traz polaroides de objetos de decoração e utensílios do cotidiano em composições nada obvias, que fazem referência ao gênero de pintura natureza morta.


A edição é marcada ainda por Casas marcantes de distintos estilos. O artista visual e cineasta Luis Ferré e sua esposa, a designer de joias Silvana Cury, abrem as portas de seu apartamento no clássico Edifício São Luiz. O prédio, localizado na região central paulistana, foi projetado na década de 1940 pelo arquiteto francês Jacques Pilon.


A fotógrafa Ilana Bessler optou por retornar à casa de sua mãe, a pesquisadora Dora Kaufman, em meio à pandemia. Bessler e seus dois filhos agora vivem no edifício dos anos 1960 na região central de São Paulo. A família, mais próxima do que nunca, apresenta seu lar marcado por cores fortes e mobiliário assinado.


O apartamento em Milão dos designers Giacomo Donati e Francesca Pellicciari é a capa da edição de outubro, e revela o contraste entre a Asia e a Europa. O casal é proprietário da loja Nanban que disponibiliza o melhor da produção nipônica em termos de design e artesanato, e o multiculturalismo se reflete nas escolhas de decoração da residência dos dois.


Para fechar, um edifício parisiense da década de 1930, que se transformou no refúgio da designer Ludivine Billaud. O apartamento tem um salão amplo, aberto, livre e cheio de luz. A decoração minimalista e os elementos têxteis são marca registrada no estilo de decoração de Billaud e contrastam com as linhas sinuosas do edifício centenário.


Serviço

Revista Casa Vogue | Edição de outubro

Nas bancas a partir de 2 de outubro



(materia enviada)


5 visualizações0 comentário

©2020 por Rede RM. Orgulhosamente criado com Wix.com