Buscar
  • Rede RM

Gabriela Prioli e Pantys doam calcinhas absorventes para penitenciárias femininas

Através do projeto Nós Mulheres as presas das penitenciárias Feminina da Capital e CPP Franco da Rocha receberão uma opção sustentável para utilizarem durante seus ciclos menstruais

A Mestre em Direito Penal e apresentadora da CNN Brasil, Gabriela Prioli, uniu-se com a Pantys, primeira marca brasileira de calcinhas absorventes e única clinicamente testada no mundo, para juntas doarem 1.378 calcinhas absorventes para a Penitenciária Feminina da Capital, que tem 480 detentas e para a CPP Franco da Rocha, que atualmente abriga 898 mulheres. Através do projeto Nós Mulheres, que arrecada absorventes e produtos de higiene pessoal para mulheres encarceradas de São Paulo, serão distribuídas as calcinhas absorventes via Pastoral Carcerária de Santana (SP).

A situação das mulheres nas penitenciárias femininas é degradante. Em algumas prisões, os itens de higiene pessoal são de responsabilidade da própria detenta, ou seja, ela depende das doações que seus familiares fornecem durante as visitas, essas que muitas vezes não acontecem. "O sistema carcerário brasileiro viola, de forma sistemática, direitos humanos fundamentais. A situação é particularmente perversa com as mulheres encarceradas. Em virtude da superlotação, a entrega pelo Estado de itens básicos de higiene feminina, como os absorventes, pode ser insuficiente, o que faz com que as mulheres presas dependam em maior medida de doações, que podem, por exemplo, ser feitas por familiares. Só que pesquisas recentes mostram que apenas 20% das mulheres encarceradas recebem visitas. Sem opção, enfrentam a menstruação como dá: jornal, pedaço de tecido, miolo de pão e o mesmo absorvente por vários dias", completa a Mestre em Direito Penal.

As calcinhas absorventes foram escolhidas pelo conforto e sustentabilidade que trazem durante o período menstrual. Além disso, com a Pantys é possível lavar e reutilizar a mesma calcinha por dois anos, trazendo uma opção duradoura para as detentas. "Com toda certeza a durabilidade das calcinhas absorventes irá representar uma longevidade de dignidade e feminilidade para as mulheres presas. Poder lavar as próprias calcinhas e não mais depender unicamente de um produto não reutilizável será fantástico" afirma Juliana Garcia, uma das oito mulheres fundadoras do projeto Nós Mulheres.

A Pantys chama atenção para a conscientização do impacto ambiental que uma mulher, durante a vida fértil, pode produzir. São aproximadamente 450 ciclos menstruais, em média, 180 quilos de absorventes, que são descartados como lixo orgânico no meio ambiente. Com a calcinha absorvente, os montantes de lixo gerados com o descarte podem ser reduzidos significativamente. E, claro, uma economia financeira em relação ao gasto com absorventes descartáveis. "Quando a Gabriela nos procurou com a proposta de doação, transbordamos de alegria. Afinal, um dos nossos grandes pilares é a sororidade. Há algum tempo estávamos estudando como contribuir com as mulheres do sistema prisional, e através do Projeto Nós Mulheres conseguiremos ajudar, mesmo que uma parcela pequena de detentas" afirma Maria Eduarda Camargo, sócia Fundadora da Pantys. Gabriela Prioli complementa dizendo "Já contribui com o projeto "Nós mulheres" com doações de absorventes tradicionais descartáveis. A doação das calcinhas reutilizáveis devolve a dignidade a essas mulheres por dois anos de uma maneira sustentável, o que é maravilhoso".

O principal objetivo da ação é levar dignidade e feminilidade para as mulheres encarceradas, através das calcinhas absorventes. "A Organizações das Nações Unidas (ONU) reconheceu, em 2014, que a pobreza menstrual para mulheres em situação de cárcere é uma questão de saúde pública e de direitos humanos. Acreditamos muito na união das mulheres, e sem dúvidas, com parceria entre a Pantys, Projeto Nós Mulheres e Gabriela Prioli, daremos voz a um assunto que é cercado de tabus. O sistema carcerário brasileiro trata as mulheres exatamente como trata os homens. A luta diária dessas mulheres é por higiene e dignidade", afirma Emily Ewell, também sócia fundadora da Pantys.

Segundo Prioli, projetos pontuais certamente não resolverão completa e definitivamente a violação de direitos das mulheres no sistema carcerário. "Depende também de empenho e atuação coordenada entre as nossas lideranças políticas e instituições, mas a ação devolverá a parcela de dignidade retirada ilegalmente de parte dessas mulheres", finaliza a mestre em direito penal.

A marca de calcinhas absorventes criou, em 2019, um programa de doações, onde no mesmo ano impactou milhares de mulheres. O programa cresceu 234% desde seu início, oferecendo mais uma opção para os ciclos menstruais de mulheres refugiadas, meninas que faltavam na escola por não ter acesso ao produto, mulheres em aldeias indígenas, mulheres que vivem em situação de vulnerabilidade social e profissionais de saúde que estão na linha de frente do COVID-19.

Sobre Pantys A Pantys, primeira marca de calcinhas absorventes do Brasil, apresenta o conceito de calcinhas e sutiãs absorventes, em um mix de tecnologia, modernidade, design, saúde e sustentabilidade. Pensada por mulheres conscientes para um público que sabe o que quer. O principal objetivo da Pantys é melhorar a qualidade de vida das mulheres, proporcionando mais liberdade de movimento e conforto durante o período menstrual, que normalmente vem acompanhado de alguns fatores físicos e emocionais que têm o poder de impactar o dia a dia da mulher. A ideia é tornar a rotina mais simples e mudar a relação do universo feminino com o fluxo menstrual.



(materia enviada)


2 visualizações0 comentário

©2020 por Rede RM. Orgulhosamente criado com Wix.com